Alabaster Box

A Crucificação de Cristo

(a partir de um ponto de vista médico)

por C. Truman Davis

Lendo o livro de Jim Bishop “O Dia Que Cristo Morreu”, eu percebi que durante vários anos eu tinha tornado a crucificação de Jesus mais ou menos sem valor, que havia crescido calos em meu coração sobre este horror, por tratar seus detalhes de forma tão familiar - e pela amizade distante que eu tinha com nosso Senhor. Eu finalmente havia percebido que, mesmo como médico, eu não entendia a verdadeira causa da morte de Jesus. Os escritores do evangelho não nos ajudam muito com este ponto, porque a crucificação era tão comum naquele tempo que, aparentemente, acharam que uma descrição detalhada seria desnecessária. Por isso só temos as palavras concisas dos evangelistas “Então, Pilatos, após mandar açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.”

Eu não tenho nenhuma competência para discutir o infinito sofrimento psíquico e espiritual do Deus Encarnado que paga pelos pecados do homem caído. Mas parecia a mim que como um médico eu poderia procurar de forma mais detalhada os aspectos fisiológicos e anatômicos da paixão de nosso Senhor. O que foi que o corpo de Jesus de Nazaré de fato suportou durante essas horas de tortura?

Dados históricos

Isto me levou primeiro a um estudo da prática de crucificação, quer dizer, tortura e execução por fixação numa cruz. Eu estou endividado a muitos que estudaram este assunto no passado, e especialmente para um colega contemporâneo, Dr. Pierre Barbet, um cirurgião francês que fez uma pesquisa histórica e experimental exaustiva e escreveu extensivamente no assunto.

Aparentemente, a primeira prática conhecida de crucificação foi realizado pelos persas. Alexandre e seus generais trouxeram esta prática para o mundo mediterrâneo--para o Egito e para Cartago. Os romanos aparentemente aprenderam a prática dos cartagineses e (como quase tudo que os romanos fizeram) rapidamente desenvolveram nesta prática um grau muito alto de eficiência e habilidade. Vários autores romanos (Lívio, Cícero, Tácito) comentam a crucificação, e são descritas várias inovações, modificações, e variações na literatura antiga.

Por exemplo, a porção vertical da cruz (ou “stipes”) poderia ter o braço que cruzava (ou “patibulum”) fixado cerca de um metro debaixo de seu topo como nós geralmente pensamos na cruz latina. A forma mais comum usada no dia de nosso Senhor, porém, era a cruz “Tau”, formado como nossa letra “T”. Nesta cruz o patibulum era fixado ao topo do stipes. Há evidência arqueológica que foi neste tipo de cruz que Jesus foi crucificado. Sem qualquer prova histórica ou bíblica, pintores Medievais e da Renascença nos deram o retrato de Cristo levando a cruz inteira. Mas o poste vertical, ou stipes, geralmente era fixado permanentemente no chão no local de execução. O homem condenado foi forçado a levar o patibulum, pesando aproximadamente 50 quilos, da prisão para o lugar de execução.

Muitos dos pintores e a maioria dos escultores de crucificação, também mostram os cravos passados pelas palmas. Contos romanos históricos e trabalho experimental estabeleceram que os cravos foram colocados entre os ossos pequenos dos pulsos (radial e ulna) e não pelas palmas. Cravos colocados pelas palmas sairiam por entre os dedos se o corpo fosse forçado a se apoiar neles. O equívoco pode ter ocorrido por uma interpretação errada das palavras de Jesus para Tomé, “vê as minhas mãos”. Anatomistas, modernos e antigos, sempre consideraram o pulso como parte da mão.

Um titulus, ou pequena placa, declarando o crime da vítima normalmente era colocado num mastro, levado à frente da procissão da prisão, e depois pregado à cruz de forma que estendia sobre a cabeça. Este sinal com seu mastro pregado ao topo teria dado à cruz um pouco da forma característica da cruz latina.

O suor como gotas de sangue

O sofrimento físico de Jesus começou no Getsêmani. Em Lucas diz: "E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra." (Lc 22:44) Todos os truques têm sido usados por escolas modernas para explicarem esta fase, aparentemente seguindo a impressão que isto não podia acontecer. No entanto, consegue-se muito consultando a literatura médica. Apesar de muito raro, o fenômeno de suor de sangue é bem documentado. Sujeito a um stress emocional, finos capilares nas glândulas sudoríparas podem se romper, misturando assim o sangue com o suor. Este processo poderia causar fraqueza e choque. Atenção médica é necessária para prevenir hipotermia.

Após a prisão no meio da noite, Jesus foi levado ao Sinédrio e Caifás o sumo sacerdote, onde sofreu o primeiro traumatismo físico. Jesus foi esbofeteado na face por um soldado, por manter-se em silêncio ao ser interrogado por Caifás. Os soldados do palácio tamparam seus olhos e zombaram dele, pedindo para que identificasse quem o estava batendo, e esbofeteavam a Sua face.

A condenação

De manhã cedo, Jesus, surrado e com hematomas, desidratado, e exausto por não dormir, é levado ao Pretório da Fortaleza Antônia, o centro de governo do Procurador da Judéia, Pôncio Pilatos. Você deve já conhecer a tentativa de Pilatos de passar a responsabilidade para Herodes Antipas, tetrarca da Judéia. Aparentemente, Jesus não sofreu maus tratos nas mãos de Herodes e foi devolvido a Pilatos. Foi em resposta aos gritos da multidão que Pilatos ordenou que Bar-Abbas fosse solto e condenou Jesus ao açoite e à crucificação.

Há muita diferença de opinião entre autoridades sobre o fato incomum de Jesus ser açoitado como um prelúdio à crucificação. A maioria dos escritores romanos deste período não associam os dois. Muitos peritos acreditam que Pilatos originalmente mandou que Jesus fosse açoitado como o castigo completo dele. A pena de morte através de crucificação só viria em resposta à acusação da multidão de que o Procurador não estava defendendo César corretamente contra este pretendente que supostamente reivindicou ser o Rei dos judeus.

Os preparativos para as chicotadas foram realizados quando o prisioneiro era despido de suas roupas, e suas mãos amarradas a um poste, acima de sua cabeça. É duvidoso se os Romanos teriam seguido as leis judaicas quanto às chicotadas. Os judeus tinham uma lei antiga que proibia mais de 40 (quarenta) chicotadas.

O açoite

O soldado romano dá um passo a frente com o flagrum (açoite) em sua mão. Este é um chicote com várias tiras pesadas de couro com duas pequenas bolas de chumbo amarradas nas pontas de cada tira. O pesado chicote é batido com toda força contra os ombros, costas e pernas de Jesus. Primeiramente as pesadas tiras de couro cortam apenas a pele. Então, conforme as chicotadas continuam, elas cortam os tecidos debaixo da pele, rompendo os capilares e veias da pele, causando marcas de sangue, e finalmente, hemorragia arterial de vasos da musculatura.

As pequenas bolas de chumbo primeiramente produzem grandes, profundos hematomas, que se rompem com as subseqüentes chicotadas. Finalmente, a pele das costas está pendurada em tiras e toda a área está uma irreconhecível massa de tecido ensangüentado. Quando é determinado, pelo centurião responsável, que o prisioneiro está a beira da morte, então o espancamento é encerrado.

Então, Jesus, quase desmaiando é desamarrado, e lhe é permitido cair no pavimento de pedra, molhado com Seu próprio sangue. Os soldados romanos vêm uma grande piada neste Judeu, que se dizia ser o Rei. Eles atiram um manto sobre os seus ombros e colocam um pau em suas mãos, como um cetro. Eles ainda precisam de uma coroa para completar a cena. Um pequeno galho flexível, coberto de longos espinhos é enrolado em forma de uma coroa e pressionado sobre Sua cabeça. Novamente, há uma intensa hemorragia (o couro do crânio é uma das regiões mais irrigadas do nosso corpo).

Após zombarem dele, e baterem em sua face, tiram o pau de suas mãos e batem em sua cabeça, fazendo com que os espinhos se aprofundem em sua cabeça. Finalmente, cansado de seu sádico esporte, o manto é retirado de suas costas. O manto, por sua vez, já havia aderido ao sangue e grudado nas feridas. Como em uma descuidada remoção de uma atadura cirúrgica, sua retirada causa dor toturante. As feridas começam a sangrar como se ele estivesse apanhando outra vez.

A cruz

Em respeito ao costume dos judeus, os romanos devolvem a roupa de Jesus. A pesada barra horizontal da cruz á amarrada sobre seus ombros, e a procissão do Cristo condenado, dois ladrões e o destacamento dos soldados romanos para a execução, encabeçado por um centurião, começa a vagarosa jornada até o Gólgota. Apesar do esforço de andar ereto, o peso da madeira somado ao choque produzido pela grande perda de sangue, é demais para ele. Ele tropeça e cai. As lascas da madeira áspera rasgam a pele dilacerada e os músculos de seus ombros. Ele tenta se levantar, mas os músculos humanos já chegaram ao seu limite.

O centurião, ansioso para realizar a crucificação, escolhe um observador norte-africano, Simão, um Cirineu, para carregar a cruz. Jesus segue ainda sangrando, com o suor frio de choque. A jornada de mais de 800 metros da fortaleza Antônia até Gólgota é então completada. O prisioneiro é despido - exceto por um pedaço de pano que era permitido aos judeus.

A crucificação

A crucificação começa: Jesus é oferecido vinho com mirra, um leve analgésico. Jesus se recusa a beber. Simão é ordenado a colocar a barra no chão e Jesus é rapidamente jogado de costas, com seus ombros contra a madeira. O legionário procura a depressão entre os osso de seu pulso. Ele bate um pesado cravo de ferro quadrado que traspassa o pulso de Jesus, entrando na madeira. Rapidamente ele se move para o outro lado e repete a mesma ação, tomando o cuidado de não esticar os ombros demais, para possibilitar alguma flexão e movimento. A barra da cruz é então levantada e colocado em cima do poste, e sobre o topo é pregada a inscrição onde se lê: "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus".

O pé esquerdo agora é empurrado para trás contra o pé direito, e com ambos os pés estendidos, dedos dos pés para baixo, um cravo é batido atraves deles, deixando os joelhos dobrados moderadamente. A vítima agora é crucificada. Enquanto ele cai para baixo aos poucos, com mais peso nos cravos nos pulsos a dor insuportável corre pelos dedos e para cima dos braços para explodir no cérebro – os cravos nos pulsos estão pondo pressão nos nervos medianos. Quando ele se empurra para cima para evitar este tormento de alongamento, ele coloca seu peso inteiro no cravo que passa pelos pés. Novamente há a agonia queimando do cravo que rasga pelos nervos entre os ossos dos pés.

Neste ponto, outro fenômeno ocorre. Enquanto os braços se cansam, grandes ondas de cãibras percorrem seus músculos, causando intensa dor. Com estas cãibras, vem a dificuldade de empurrar-se para cima. Pendurado por seus braços, os músculos peitorais ficam paralisados, e o músculos intercostais incapazes de agir. O ar pode ser aspirado pelos pulmões, mas não pode ser expirado. Jesus luta para se levantar a fim de fazer uma respiração. Finalmente, dióxido de carbono é acumulado nos pulmões e no sangue, e as cãibras diminuem. Esporadicamente, ele é capaz de se levantar e expirar e inspirar o oxigênio vital. Sem dúvida, foi durante este período que Jesus consegui falar as sete frases registradas:

Jesus olhando para os soldados romanos, lançando sorte sobre suas vestes disse: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. " (Lucas 23:34)

Ao ladrão arrependido, Jesus disse: "Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso." (Lucas 23:43)

Olhando para baixo para Maria, sua mãe, Jesus disse: “Mulher, eis aí teu filho.” E ao atemorizado e quebrantado adolescente João, “Eis aí tua mãe.” (João 19:26-27)

O próximo clamor veio do início do Salmo 22, “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”

Ele passa horas de dor sem limite, ciclos de contorção, câimbras nas juntas, asfixia intermitente e parcial, intensa dor por causa das lascas enfiadas nos tecidos de suas costas dilaceradas, conforme ele se levanta contra o poste da cruz. Então outra dor agonizante começa. Uma profunda dor no peito, enquanto seu pericárdio se enche de um líquido que comprime o coração.
Lembramos o Salmo 22 versículo 14 “Derramei-me como água, e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração fez-se como cera, derreteu-se dentro de mim.”

Agora está quase acabado - a perda de líquidos dos tecidos atinge um nível crítico - o coração comprimido se esforça para bombear o sangue grosso e pesado aos tecidos - os pulmões torturados tentam tomar pequenos golpes de ar. Os tecidos, marcados pela desidratação, mandam seus estímulos para o cérebro.

Jesus clama “Tenho sede!” (João 19:28)

Lembramos outro versículo do profético Salmo 22 “Secou-se o meu vigor, como um caco de barro, e a língua se me apega ao céu da boca; assim, me deitas no pó da morte.”

Uma esponja molhada em “posca”, o vinho azedo que era a bebida dos soldados romanos, é levantada aos seus lábios. Ele, aparentemente, não toma este líquido. O corpo de Jesus chega ao extremo, e ele pode sentir o calafrio da morte passando sobre seu corpo. Este acontecimento traz as suas próximas palavras - provavelmente, um pouco mais que um torturado suspiro “Está consumado!”. (João 19:30)

Sua missão de sacrifício está concluída. Finalmente, ele pode permitir o seu corpo morrer.
Com um último esforço, ele mais uma vez pressiona o seu peso sobre os pés contra o cravo, estica as suas pernas, respira fundo e grita seu último clamor: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito!” (Lucas 23:46).

O resto você sabe. Para não profanar a Páscoa, os judeus pediam para que o réus fossem despachados e removidos das cruzes. O método comum de terminar uma crucificação era por crucificatura, quebrando os ossos das pernas. Isto impedia que a vítima se levantasse, e assim eles não podiam aliviar a tensão dos músculos do peito e logo sufocaram. As pernas dos dois ladrões foram quebradas, mas, quando os soldados chegaram a Jesus viram que não era necessário.

Conclusão

Aparentemente, para ter certeza da morte, um soldado traspassou sua lança entre o quinto espaço das costelas, enfiado para cima em direção ao pericárdio, até o coração. O verso 34 do capítulo 19 do evangelho de João diz: "E imediatamente verteu sangue e água." Isto era saída de fluido do saco que recobre o coração, e o sangue do interior do coração. Nós, portanto, concluímos que nosso Senhor morreu, não de asfixia, mas de um enfarte de coração, causado por choque e constrição do coração por fluidos no pericárdio.

Assim nós tivemos nosso olhar rápido – inclusive a evidência médica – daquele epítome de maldade que o homem exibiu para com o Homem e para com Deus. Foi uma visão terrível, e mais que suficiente para nos deixar desesperados e deprimidos. Como podemos ser gratos que nós temos o grande capítulo subseqüente da clemência infinita de Deus para com o homem – o milagre da expiação e a expectativa da manhã triunfante da Páscoa.

© Copyright C. Truman Davis

C. Truman Davis é um Oftalmologista nacionalmente respeitado, vice-presidente da Associação Americana de Oftalmologia, e uma figura ativa no movimento de escolas Cristãs. Ele é o fundador e presidente do excelente Trinity Christian School em Mesa, Arizona, e um docente do Grove City College.

[Esta tradução foi realizada para o site www.hermeneutica.com baseada em várias versões deste relato em inglês e traduções em português. Não há restrição quanto à reprodução desta versão do relato médico. No entanto, pedimos que os interessados tenham a consideração de preservar as referencias à autoria original e uma referencia ao site da www.hermeneutica.com]




Cientistas Comprovam as 10 Pragas do Egito

http://news.noticiascristas.com/2010/03/as-10-pragas-do-egito-cientistas.html

As 10 pragas do Egito – Cientistas comprovam a existência, mas dizem que foi uma cadeia de coincidências

Postado em Arqueologia, Ciências, Cristianismo às 22:44


Pesquisadores acreditam terem encontrado evidências dos verdadeiros desastres naturais das dez pragas do Egito, que levou Moisés a libertar os israelitas da escravidão no livro bíblico Êxodo.

Mas ao invés de explicá-los como decorrentes de um ato de Deus, os cientistas afirmam que as causas das pragas podem ser atribuídas a uma cadeia de fenômenos naturais provocados por mudanças no clima e as catástrofes ambientais que aconteceram há centenas de quilômetros de distância.

Eles compilaram evidências convincentes que oferecem novas explicações para as pragas bíblicas, que será apresentada em uma nova série a ser transmitida no canal de televisão Nacional Geographic no domingo de Páscoa.

Os arqueólogos acreditam amplamente que as pragas ocorreram numa antiga cidade de Pi-Ramsés no Delta do Nilo, capital do Egito durante o reinado do faraó Ramsés, o Segundo, que governou entre 1.279 aC e 1.213 aC.

A cidade parece ter sido abandonada há 3.000 anos atrás e cientistas afirmam que as pragas poderiam oferecer uma explicação para este abandono. Climatologistas que estudaram o clima antigo descobriram uma mudança drástica no clima da região, que ocorreu no final do reinado de Ramsés, o Segundo.

Ao estudar estalagmites em cavernas egípcias, os climatologistas foram capazes de reconstruir um registro dos padrões de tempo usando os traços de elementos radioativos contidos na formação calcária.

Eles descobriram que esses fatos coincidiram com o reinado de Ramsés. Antes havia um clima quente e úmido, mas depois o clima mudou para um período de seca.

O professor Augusto Magini, paleoclimatologista no instituto da Universidade de Heidelberg para a física do ambiente, disse que o “Faraó Ramsés II reinou durante um período muito favorável climáticas. Houve muita chuva e seu país floresceu. Este período úmido durou apenas algumas décadas. Após o reinado de Ramsés o clima faz uma curva acentuada para baixo em um gráfico. Há um período de seca, que certamente teria tido consequências graves”. Os cientistas acreditam que este parâmetro no clima foi o ponto de partida para a primeira das pragas.

O aumento das temperaturas poderia ter feito o rio Nilo secar, transformando o rio que flui rápido (que foi salva-vidas do Egito) em um movimento lento e cursos de água lamacenta.

Estas condições teriam sido perfeitas para a chegada da primeira praga, que na Bíblia é descrita como o Nilo voltando-se para o sangue.

O dr. Stephan Pflugmacher, biólogo do Instituto Leibniz de Água Ecologia e Pesca Interior, em Berlim, acredita que esta descrição poderia ter sido o resultado de uma alga tóxica de água doce. Ele disse que a bactéria, conhecida como Borgonha ou algas Blood Oscillatoria rubescens é conhecida por ter existido há 3.000 anos e ainda hoje provoca efeitos semelhantes.

“Ela se multiplica maciçamente no movimento lento das águas quentes com altos níveis de nutrição. E quando morre deixa manchas vermelhas na água”, disse.

Os cientistas também afirmam que a chegada deste conjunto de algas em movimento acarretou a chegada da segunda, terceira e quarta pragas – rãs, piolhos e moscas.

O desenvolvimento de girinos em adultos é regulado por hormônios que podem acelerar o seu desenvolvimento em tempos de estresse. A chegada das algas tóxicas teriam desencadeado tal transformação e forçou os sapos a deixarem a água em que viviam.

Com a morte das rãs, os mosquitos, moscas e outros insetos teriam se multiplicado por causa da falta de predadores. Esse fato, de acordo com os cientistas, poderia ter ocasionado a quinta e sexta pragas – gado doente e furúnculos.

“Nós sabemos que muitas vezes os insetos portadores de doenças como a malária provocam uma reação em cadeia, que é o surto de epidemias, fazendo com que a população humana fique doente”, explicou o professor Werner Kloas, biólogo do Instituto Leibniz.

Outra grande catástrofe natural que ocorreu a mais de 400 quilômetros de distância pode ser a responsável por desencadear a sétima, oitava e nona pragas, que trazem granizo, gafanhotos e trevas para o Egito.

Uma das maiores erupções vulcânicas da história da humanidade ocorreu quando Thera, um vulcão que fazia parte do arquipélago mediterrâneo de Santorini, ao norte da ilha de Creta, explodiu há cerca de 3.500 anos atrás. Essa erupção “vomitou” milhões de toneladas de cinzas vulcânicas na atmosfera.

Nadine von Blohm, do Instituto de Física Atmosférica da Alemanha, fez experiências sobre como se forma o granizo e acredita que as cinzas vulcânicas podem ter relação com trovoadas no Egito para produzir tempestades de granizo.

O dr. Siro Trevisanato, biólogo canadense que escreveu um livro sobre as pragas, disse que os gafanhotos também poderiam ser explicados pela vulcânica cair fora das cinzas.

“A queda de cinzas para fora do vulcão causou anomalias climáticas, que se traduz em precipitações mais elevadas e maior umidade. Isso é exatamente o que favorece a presença dos gafanhotos”, disse.
As cinzas vulcânicas também poderiam ter bloqueado a luz do sol realizando a história de uma praga da escuridão.

Os cientistas encontraram pedra-pomes, a pedra feita de arrefecimento de lava vulcânica, durante as escavações das ruínas do Egito, apesar de não haver qualquer vulcão no Egito.

A análise das rochas mostram que ela veio do vulcão de Santorini, fornecendo evidências físicas de que a precipitação de cinzas da erupção em Santorini atingiu a costa egípcia.

A causa da última praga, a morte dos primogênitos do Egito, tem sido sugerida como sendo causada por um fungo que pode ter envenenado o abastecimento de grãos, dos quais meninos primogênitos teriam prioridade em receber os alimentos da colheita, por isso foram a primeira vítima.

Mas o Dr. Robert Miller, professor de Antigo Testamento da Universidade Católica da América, disse: “Eu estou relutante em avançar com as causas naturais para todas as pragas”.

O problema com as explicações naturalista é que elas perdem o sentido. “E a questão toda é que você não saiu do Egito por causas naturais. Você veio pela mão de Deus”, disse.

Traduzido pelo Gospel+ do jornal Telegraph

Notícias Cristãs



SOU ÉTICO! Cito as fontes. Copiado do Site Notícias Cristãs. Link Original: http://news.noticiascristas.com/2010/03/as-10-pragas-do-egito-cientistas.html#ixzz0udtFs6uU
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial

As 10 Pragas do Egito

No tempo de Moisés, quando o povo de Israel ainda era escravo no Egito, o único e verdadeiro Deus julgou e castigou o povo egípcio e também os seus falsos deuses com 10 grandes pragas, listadas logo abaixo:



- A primeira praga, a transformação do Nilo e de todas as águas do Egito em sangue, causou desonra ao deus-Nilo, Hápi. A morte dos peixes no Nilo, foi também um golpe contra a religião do Egito, pois certas espécies de peixes eram realmente veneradas e até mesmo mumificadas (Êxodo 7:19-21)

- A rã, tida como símbolo da fertilidade e do conceito egípcio da ressurreição, era considerada sagrada para a deusa-rã, Heqt. Assim, a vinda das rãs (a segunda praga) trouxe desonra a esta deusa (Êx 8:5-14).

- A terceira praga resultou em os sacerdotes-magos reconhecerem a derrota, quando se viram incapazes de transformar o pó em borrachudos, por meio de suas artes secretas. (Êx 8:16-19) Atribuía-se ao deus Tot a invenção da magia ou das artes secretas, mas nem mesmo este deus pôde ajudar os sacerdotes-magos a imitar a terceira praga.

- A linha de demarcação entre os egípcios e os adoradores do verdadeiro Deus veio a ficar nitidamente traçada da quarta praga em diante. Enquanto enxames de moscões invadiam os lares dos egípcios, os israelitas na terra de Gósen não foram atingidos (Êx 8:23, 24).

- A praga seguinte (quinta praga), a pestilência no gado, humilhou deidades tais como a deusa-vaca, Hator, Ápis e a deusa-céu, Nut, imaginada como uma vaca, com as estrelas afixadas na sua barriga (Êx 9:1-6).

- A praga dos furúnculos (sexta praga) causou desonra aos deuses e às deusas considerados como possuindo habilidades curativas, tais como Tot, Ísis e Ptá (Êx 9:8-11).

- A forte saraivada (sétima praga) envergonhou os deuses considerados como tendo controle sobre os elementos naturais; por exemplo, Reshpu, o qual, pelo que parece, cria-se que controlava os raios, e Tot, do qual se dizia ter poder sobre a chuva e os trovões (Êx 9:22-26).

- A praga dos gafanhotos (oitava praga) significava uma derrota dos deuses que, segundo se pensava, garantiam abundante colheita, um destes sendo o deus da fertilidade, Min, o qual era encarado como protetor das colheitas (Êx 10:12-15).

- Dentre as deidades desonradas pela praga da escuridão (nona praga) achavam-se os deuses-sol, tais como Rá e Hórus, e também Tot, o deus da lua, tido como o sistematizador do sol, da lua e das estrelas (Êx 10:21-23).

- E por fim, a morte dos primogênitos (décima praga) resultou na maior humilhação para os deuses e as deusas egípcios. (Êx 12:12) Os governantes do Egito realmente chamavam a si mesmos de deuses, filhos de Rá ou Amom-Rá. Afirmava-se que Rá, ou Amom-Rá, tinha relações sexuais com a rainha. O filho nascido era, portanto, considerado como um deus encarnado e era dedicado a Rá, ou Amom-Rá, no seu templo. Assim, com efeito, a morte do primogênito de Faraó realmente significava a morte de um deus (Êx 12:29).

A última praga, já por si só, teria sido um duro golpe na religião do Egito, e a completa incapacidade de todas as deidades se evidenciou em serem incapazes de salvar da morte os primogênitos dos egípcios.


Extraído e adaptado da enciclopédia: "Estudo Perspicaz das Escrituras"


CONCLUSÃO

Nenhum dos deuses a quem os egípcios serviam se mostrou capaz de livrá-los das mãos do grande Deus de Israel. O Senhor executou seus juízos sobre o povo egípcio e também sobre os seus falsos deuses (conf. Ex. 12:12 e Nm 33:4), provando que estes, na verdade, não tinham poder algum.

"E eu passarei pela terra do Egito esta noite, e ferirei todo o primogênito na terra do Egito, desde os homens até aos animais; e em todos os deuses do Egito farei juízos. Eu sou o SENHOR."
(Êxodo 12:12)

"Enquanto os egípcios enterravam os que o SENHOR tinha ferido entre eles, a todo o primogênito, e havendo o SENHOR executado juízos também contra os seus deuses."
(Números 33:4)

Detalhe: quando as pragas começaram, o povo egípcio (que adorava inúmeros deuses e que havia assassinado todos os meninos recém-nascidos hebreus 80 anos antes) já estava julgado e condenado ao castigo. Por isso, depois de cada praga, o coração do faraó era endurecido por Deus para que Ele pudesse cumprir todos os seus juízos determinados sobre aquele povo e os seus deuses.

As pragas que Deus derramou sobre o Egito, além de serem castigos, também serviram como resposta àquela pergunta que o Faraó havia feito logo no primeiro encontro com Arão e Moisés:
- Quem é o SENHOR, cuja voz eu ouvirei, para deixar ir Israel?

Libertando o povo hebreu (descendentes de Abraão, Isaque e Jacó) da escravidão no Egito através de grandes sinais e maravilhas, o Deus de Israel se fez conhecer entre todos os povos, e registrou na história uma boa amostra do seu poder para que nós, hoje em dia, pudéssemos ter idéia de quão poderoso é o nosso verdadeiro e único Deus!

Segundo as Escrituras, Deus não é apenas uma "força", um "poder", ou uma "energia". Ele é um ser, e assim como Adão gerou um filho à sua imagem e semelhança (Gên 5:3), o primeiro homem
foi feito à imagem e semelhança de Deus (está escrito em Gênesis 1:26).

Que o mesmo Deus que fez todos esses milagres ilumine seus corações e mentes, dando-lhes entendimento e sabedoria!


PARA PENSAR

Se a fuga dos hebreus do Egito não tivesse acontecido, então por que motivo os judeus, descendentes dos hebreus, comemoram a Páscoa???



" E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.
(...) E acontecerá que, quando vossos filhos vos disserem:
- Que culto é este?
Então direis:
- Este é o sacrifício da páscoa ao SENHOR, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu aos egípcios, e livrou as nossas casas.
Então o povo inclinou-se, e adorou."
(Êxodo 12:14,26,27)

Direitos Humanos para a Mãe-Terra?

Era só o que faltava...



Bolívia prepara lei que atribui à "Mãe-Terra" direitos equivalentes aos dos seres humanos


Os 11 direitos estabelecidos pela nova lei incluem o direito à vida e à existência, à continuidade dos ciclos e processos vitais livres da alteração humana, ao acesso à água pura e ao ar limpo. No entanto, não é claro que força terão em tribunal.

Como parte de uma reestruturação do sistema legal Boliviano no seguimento de uma alteração à constituição que data de 2009, a Bolívia prepara-se para aprovar uma lei que atribuiu à Mãe-Terra direitos semelhantes aos que detêm os seres humanos.


Esta medida pioneira, acordada por políticos e movimentos sociais, tem como base uma visão ancestral do mundo espiritual dos índios Andinos que coloca o Ambiente e a Terra no centro de toda a Vida, e pretende promover a tomada de decisões radicais tendo como fim a redução da poluição e o controle da indústria.


Entre os 11 direitos a ser atribuídos à Mãe-Terra contam-se o direito à vida e à existência, à continuidade dos ciclos e processos vitais livres da alteração humana, à água pura e ao ar limpo, ao equilíbrio, à não-poluição e à não-sujeição a modificações celulares ou manipulações genéticas.

A Mãe-Terra passa ainda a ter o direito a “não ser afectada por mega-infraestruturas e projectos de desenvolvimento que afectam o equilíbrio dos ecossistemas e comunidades de habitantes locais”.


Segundo Undarico Pinto, da Confederación Sindical Única de Trabajadores Campesinos de Bolivia, que colaborou na elaboração da lei, esta justifica-se porque “a Bolívia há muito que sofre de problemas ambientais sérios desde a exploração mineira de estanho, prata, ouro a outras matérias-primas. As leis existentes são insuficientes. [A Lei da Mãe-Terra] tornará a indústria mais transparente. Permitirá ao povo regular a indústria aos níveis nacional, regional e local”.

A aprovação da nova lei implicará a criação de um Ministério da Mãe-Terra e a nomeação de um provedor de justiça.

No entanto, não é claro que força terão os novos direitos atribuídos aos seres vivos não-humanos em tribunal.



Fontes:
http://naturlink.sapo.pt/article.aspx?menuid=20&cid=33852&bl=1
http://www.wired.co.uk/news/archive/2011-04/11/bolivia-law-of-mother-nature
http://www.guardian.co.uk/environment/2011/apr/10/bolivia-enshrines-natural-worlds-rights?INTCMP=SRCH
http://www.gobernabilidad.org.bo/noticias/2-noticias/704-bolivia-promulga-la-ley-de-derechos-de-la-madre-tierra




"Só duas coisas são infinitas, o universo e a estupidez humana,
mas não estou seguro sobre o primeiro."
(Albert Einstein)

Menino evangélico ora e é poupado por atirador em Realengo (RJ)

Mateus Moraes, 13 anos, orou, pediu para não ser morto
e ouviu do assassino: "Fica tranquilo, que não vou te matar"



“Eu estava em pé e era um dos mais nervosos. Pedi para ele não me matar, e ele disse: ‘Fica tranqüilo, gordinho, que não vou te matar.’ E não atirou em mim”, contou o menino, estudante da 7ª séria da Escola Municipal Tasso da Silveira.

Na ocasião, o atirador (Wellington Menezes de Oliveira, 23) invadiu a escola por volta das 8h e atirou em diversos estudantes. Wellington era ex-aluno e se passou por um palestrante para conseguir entrar na instituição de ensino. Ao todo, morreram dez meninas e dois meninos. Depois dos crimes, o bandido foi baleado e em seguida cometeu suicídio.

Uma possível explicação para o fato do assassino ter poupado o menino é que este ficou o tempo todo orando. Fiel da Igreja Evangélica Mananciais, Mateus atribui a uma força superior o fato de ter saído vivo do ataque. “Deus me protegeu.”

O atirador andava calmamente pela sala, disparando contra as crianças, principalmente na cabeça e no tórax. Ao chegar ao local, primeiro ele teria procurado uma professora que já tinha lhe dado aula no passado. Como não a encontrou, subiu para o primeiro andar, foi em duas salas do oitavo ano do Ensino Fundamental e efetuou os disparos.

Em depoimento à jornalistas, Mateus definiu o dia do massacre como um pesadelo. Ele conta que viu a escola entrar em pânico com os tiros e que ficou em pé, orando, esperando tudo acabar:


"Já tive alguns pesadelos na vida, mas nenhum se compara com o que vi hoje. A aula de português estava começando quando ouvimos um tiro dentro da escola.

Naquele momento, todos entraram em pânico. A professora deixou a sala para ver o que acontecia e não deu para entender mais nada.

Só ouvíamos o barulho dos tiros cada vez mais alto. Foi uma correria. Todos gritavam e tentavam se esconder embaixo das mesas.

Logo em seguida, um rapaz de camisa verde e calça preta com um revólver em cada mão entrou na sala. Não tive muita reação. A única coisa que fiz foi levantar da minha cadeira, que fica na primeira fileira da sala.

Ele ficou menos de meio metro de distância da minha mesa e começou a atirar. Foi uma covardia. Ele chegava perto dos meus amigos que estavam no chão, demorava um pouco e dava tiro na cabeça, no tórax.

Vi pelo menos uns sete amigos morrerem. Não sei como não morri. Fiquei o tempo inteiro em pé e orando. Cada vez que ele parava de atirar para recarregar as armas, ele gritava que não ia me matar. O rapaz berrava: "Fica tranquilo, gordinho. Já disse que não vou te matar". Ele falava isso, carregava o revólver e ia pra cima dos outros.

Teve uma hora que ele deixou a sala e continuou atirando do lado de fora.

Minutos depois, o barulho acabou. Vi vários colegas feridos, outros mortos, muito sangue nas paredes da sala. Não sabia o que fazer nem como estava vivo. Foi Deus que me ajudou.

Logo em seguida, um policial deu um grito. Ele berrava para os alunos que estivessem vivos deixarem a escola.

Saí correndo. Só fui parar lá em casa. Deixei até o material para trás. Chorei o dia inteiro, mas estou calmo agora.

Não vou ter mais coragem de estudar nessa escola. As lembranças são muito fortes. "


Fontes: Folha de São Paulo e Último Segundo, entre outros.



"Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas tu não serás atingido."

Zangief Kid

video

Algumas pessoas podem achar que esse é apenas mais um vídeo engraçadinho, daqueles que se vê todo dia pela internet, mas não é.

Já dizia Newton: "para cada ação há sempre uma reação, oposta e de igual intensidade". Ou seja, mais cedo ou mais tarde, algumas dessas vítimas de bullying nas escolas decidem reagir. Como é o caso desse simpático e (não mais tão) paciente gordinho do vídeo acima.

E as crianças que não reagem - e que também não conseguem perdoar os seus agressores - guardam tanta mágoa dentro de si que podem um dia acabar se tornando adultos desequilibrados, problemáticos. Alguns chegam a pensar em suicídio, outros podem pensar até mesmo em liberar toda a raiva e ódio acumulados ao longo de anos e anos de sofrimento numa vingança terrível, ou contra a ex-escola, ou contra os estudantes da ex-escola, ou contra quem resolver atravessar o seu caminho.

Então, quando um desses desequilibrados resolve por em prática os seus planos maquiavélicos, morre um monte de inocentes - e ninguém parece entender o porquê de tantos massacres, tragédias e de tanta violência mundo afora... Quanta hipocrisia!

Não existe apenas um culpado. TODOS os que assistem e se divertem diariamente nas escolas mundo afora com cenas semelhantes a essa também são culpados, inclusive por aquele massacre que aconteceu recentemente numa escola do Rio de Janeiro.

"O que me preocupa não é o grito dos violentos. É o silêncio dos bons."
(Martin Luther King)

Onde estavam os outros alunos? Os professores? A direção? Onde estavam os pais desses futuros delinquentes que humilham seus próprios colegas?

(Pensando bem, quem é que consegue arranjar tempo suficiente hoje em dia para criar e educar adequadamente seus próprios filhos, ensinando o respeito e o amor ao próximo, náo é mesmo? Não é fácil...)

"Castiga o teu filho enquanto há esperança. (...) Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá. Tu a fustigarás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno."
(Salomão)

Se os pais de agora se omitirem dessa responsabilidade, o futuro das próximas gerações estará irremediavelmente comprometido. As pessoas não terão mais amor umas pelas outras. Se tornarão violentas, desobedientes, egoístas, desrespeitadoras, ingratas, xingadoras, mentirosas, etc.

(Ou seja, serão exatamente da forma que a bíblia previu que um dia seriam... Duvida? Então descubra por si próprio que é exatamente isso que irá ocorrer nos últimos tempos, antes da volta de Jesus Cristo à Terra, clicando aqui)




Links relacionados

- “Zangief Kid” conta sua história de bullying
http://jornale.com.br/portal/mundo/140/13345.html

- Entrevista com Casey Heynes, o Zangief Kid, que ficou famoso por reagir a bullying
http://colunistas.ig.com.br/obutecodanet/2011/03/21/emissora-de-tv-entrevista-casey-heynes-o-zangief-kid-que-ficou-famoso-por-reagir-a-bullying/comment-page-14/#comment-524436

- A história de Casey Heynes, o Zangief Kid
http://omedi.net/2011/03/a-historia-de-casey-heynes-o-zangief-kid/

- Bullying e o Zangief Kid
http://papodegordo.mtv.uol.com.br/2011/03/21/bullying-casey-heynes-zangief-kid-richard-gale-entrevista/

- Casey Heynes, estudante australiano, se vinga de bullying com golpe de Street Fighter e vira hit na internet
http://oglobo.globo.com/megazine/mat/2011/03/15/casey-heynes-estudante-australiano-se-vinga-de-bullying-com-golpe-de-street-fighter-vira-hit-na-internet-924015776.asp

- Casey Heymes Bully Slapdown
http://www.caseyheynes.com/

- Em nova carta, atirador tenta usar bullying para justificar massacre no RJ
http://www.cnro.com.br/noticia.php?id=49559

- Wellington sofria bullying e deixou tratamento psicológico
http://www.destakjornal.com.br/readContent.aspx?id=14,93405

12 Bíblias Online


COMPARANDO DANIEL 3:25

São 12 traduções disponíveis (todas elas em Português!):

1. NA NOVA TRADUÇÃO NA LINGUAGEM DE HOJE
-Como é, então, que estou vendo quatro homens andando soltos na fornalha? -perguntou o rei. -Eles estão passeando lá dentro, sem sofrerem nada. E o quarto homem parece um anjo.
http://bible.us/211/dan.3.25.ntlh    (=YouVersion)
http://biblia.bo.net.br/ntlh/dn/3/25
https://www.bible.com/pt-BR/bible/211/dan.3.25.ntlh
http://www.bibliamail.com/livro/de/Daniel/3/25a26/versao/plh *
http://www.portaldabiblia.com/?do=p&p=dn%2003:25-26&v=ntlh *
http://www.bibliafacil.com.br/biblia_lh.php?livro=27&capitulo=3&versiculo=25
http://www.biblia.com.br/biblesearch/?do=word&stringDeConsulta=Daniel%2003:25&version=2
http://www.bibliaonline.net/biblia/?livro=27&capitulo=3&versiculo=25&versao=2&lang=pt-BR

2. NA BÍBLIA VIVA
"Mas olhem!" gritou o rei Nabucodonosor. "Eu estou vendo quatro homens, soltos, andando pelo fogo. E nem se queimaram com as chamas! Além disso, o quarto homem parece ser um deus!"
http://adorai.tk/biblia/viva/dn/3/25
http://biblia.email/pviva/Daniel/3/25a26 *

3. NA VERSÃO CATÓLICA
Pois bem, replicou o rei, eu vejo quatro homens soltos, que passeiam impunemente no meio do fogo; o quarto tem a aparência de um filho dos deuses.
http://adorai.tk/biblia/vc/dn/3/25
http://onlinebiblia.com.br/vc/Dn/3/25-26 *
http://www.bibliaonline.com.br/vc/dn/3/25-26 *
http://biblia.gospelprime.com.br/vc/daniel/3.25-26/ *
http://www.bibliahoje.com.br/biblia/vc/daniel/3/25-26
http://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/daniel/3/

4. NA NOVA VERSÃO INTERNACIONAL
E o rei exclamou: "Olhem! Estou vendo quatro homens, desamarrados e ilesos, andando pelo fogo, e o quarto se parece com um filho dos deuses".
http://bible.us/129/dan.3.13.nvi  (=YouVersion)
http://adorai.tk/biblia/nvi/dn/3/25
http://biblia.bo.net.br/nvi/dn/3/25/
http://onlinebiblia.com.br/nvi/dn/3/25-26 *
http://www.bibliaonline.com.br/nvi/dn/3/25-26 *
http://biblia.gospelprime.com.br/nvi/daniel/3.25-26/ *
http://www.bibliaon.com/versiculo/daniel_3_25-26/ *
https://www.bible.com/pt-BR/bible/129/dan.3.25.nvi 
http://www.bibliahoje.com.br/biblia/nvi/daniel/3/25-26 *
http://www.bibliamail.com/livro/de/Daniel/3/25a26/versao/pnvi *
http://www.irmaos.com/bibliaonline/?busca=Daniel%203.25-26&version=1 *
http://www.biblegateway.com/passage/?search=Daniel%203:25&version=NVI-PT
http://www.biblia.com.br/biblesearch/?do=word&stringDeConsulta=Daniel%2003:25&version=17
http://www.bibliaonline.net/biblia/?livro=27&capitulo=3&versiculo=25&versao=17&lang=pt-BR
 
5. NA NOVA VERSÃO BRASILEIRA (Sociedade Bíblica Britânica)
Disse ele: Eis que eu vejo quatro homens soltos, que andam no meio do fogo, e não recebem dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses.
http://adorai.tk/biblia/tb/dn/3/25
http://www.bibliaonline.com.br/tb/dn/3/25-26 *
http://biblia.gospelprime.com.br/tb/daniel/3.25-26/ *
http://www.bibliahoje.com.br/biblia/tb/daniel/3/25-26 *
http://www.bibliafacil.com.br/biblia_nvb.php?livro=27&capitulo=3&versiculo=25

6. NA ALMEIDA REVISADA (Imprensa Bíblica)
Disse ele: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, e nenhum dano sofrem; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses.
http://adorai.tk/biblia/aa/dn/3/25
http://onlinebiblia.com.br/aa/dn/3/25-26 *
http://www.bibliaonline.com.br/aa/dn/3/25-26 *
http://biblia.gospelprime.com.br/aa/daniel/3.25-26/ *
http://www.bibliahoje.com.br/biblia/aa/daniel/3/25-26 *
http://www.bibliamail.com/livro/de/Daniel/3/25a26/versao/pr *
http://www.bibliafacil.com.br/biblia_rev.php?livro=27&capitulo=3&versiculo=25

7. NA ALMEIDA ATUALIZADA
Disse ele: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, e nenhum dano sofrem; e o aspacto do quarto é semelhante a um filho dos deuses.
http://biblia.bo.net.br/jfaa/dn/3/25/
http://bibleonline.ru/bible/por/27/03/#25-26
http://www.cvvnet.org/cgi-bin/biblia?Daniel:3:25
http://www.portaldabiblia.com/?do=p&p=dn%2003:25-26&v=aa *
http://www.irmaos.com/bibliaonline/?busca=Daniel%203.25-26&version=2 *
http://www.biblegateway.com/passage/?search=Daniel%2003:25&version=AA
http://www.biblia.com.br/biblesearch/?do=word&stringDeConsulta=Daniel%2003:25&version=3
http://www.bibliaonline.net/biblia/?livro=27&capitulo=3&versiculo=25&versao=3&lang=pt-BR

8. NA ALMEIDA REVISTA E ATUALIZADA - 1993 (Westcott-Hort)
Tornou ele e disse: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses.
http://www.bible.is/PORARA/Dan/3/25 
http://www.bibliamail.com/livro/de/Daniel/3/25a26/versao/pra *
http://www.portaldabiblia.com/?do=p&p=dn%2003:25-26&v=ara *
http://www.biblia.com.br/biblesearch/?do=word&stringDeConsulta=Daniel%2003:25&version=1
http://www.leiturabiblica.com.br/index.php?menu=diario&livro=27&capd=3&capa=3&De=25&Ate=26
http://www.bibliaonline.net/biblia/?livro=27&capitulo=3&versiculo=25&versao=1&lang=pt-BR

9. NA ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA - 1995 (Sociedade Bíblica do Brasil)
Respondeu e disse: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, e nada há de lesão neles; e o aspecto do quarto é semelhante ao filho dos deuses.
http://bible.us/212/dan.3.25.arc (=YouVersion)
http://biblia.bo.net.br/jfarc/dn/3/25/
http://www.bible.is/PORARC/Dan/3/25
https://www.bible.com/pt-BR/bible/212/dan.3.25.arc

10. NA ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA (Sociedade Bíblica de Portugal)
Respondeu, e disse: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, e nada há de lesão neles e o aspecto do quarto é semelhante ao filho dos deuses.
http://www.bible.is/PORJFA/Dan/3/25
http://www.bibliafacil.com.br/biblia_arc.php?livro=27&capitulo=3&versiculo=25

11. EM "O LIVRO" (Portugal)
Então olhem bem! Eu estou a ver quatro homens, desatados, passeando lá no meio do fogo; e as chamas nada lhes fazem! Reparem que o quarto tem o aspecto do filho de um deus!
http://www.bibliahoje.com.br/biblia/ol/daniel/3/25-26 *
http://www.bibleserver.com/text/PRT/Daniel3%3A25-26  *
http://www.biblegateway.com/passage/?search=Daniel%203:25&version=OL

12. NA ALMEIDA CORRIGIDA E REVISADA - 1994 (FIEL)
Respondeu, dizendo: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem sofrer nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante ao Filho de Deus.
http://gbiblia.com/daniel_3:25/
http://adorai.tk/biblia/acf/dn/3/25
http://onlinebiblia.com.br/acf/dn/3/25-26 *
http://www.bibliaonline.com.br/acf/dn/3/25-26 *
http://biblia.gospelmais.com.br/daniel_3:25-26/ *
http://biblia.gospelprime.com.br/acf/daniel/3.25-26/  *
http://www.bibliapedia.com.br/acf/daniel/3.25/3.26/ *
http://www.bibliahoje.com.br/biblia/acf/daniel/3/25-26 *
http://www.bibliamail.com/livro/de/Daniel/3/25a26/versao/pcf *
http://www.portaldabiblia.com/?do=p&p=dn%2003:25-26&v=acf *
http://www.irmaos.com/bibliaonline/?busca=Daniel%203.25-26&version=3 *
http://www.bibliafacil.com.br/biblia.php?livro=27&capitulo=3&versiculo=25
http://www.biblia.com.br/biblesearch/?do=word&stringDeConsulta=Daniel%2003:25&version=4
http://www.bibliaonline.net/biblia/?livro=27&capitulo=3&versiculo=25&versao=4&lang=pt-BR



* Nos sites que aceitam versículos duplos, foram colocados os versículos 25 e 26.

Links interessantes (em inglês):
http://bible.cc/daniel/3-25.htm
http://adorai.tk/biblia/kjv/dn/3/25

Outro link interessante (Vulgata, bíblia católica em latim):
http://www.pr.gonet.biz/biblia.php?submit=Ler%20cap%EDtulo&ATNT=0&Book=33&Chapter=3&versao=2&simples=1&biblia2=0&head=1



Acrescentando mais duas:

13 - Na TRADUÇÃO BRASILEIRA (relançamento da versão de 1917)
Disse ele: Eis que eu vejo quatro homens soltos, que andam no meio do fogo e não recebem dano; e o aspecto do quarto é semelhante a um filho dos deuses.
http://bible.us/277/dan.3.13,25.tb10  =(YouVersion)
https://www.bible.com/pt-BR/bible/277/dan.3.13,25.tb10

14 - Em A BÍBLIA PARA TODOS (Sociedade Bíblica de Portugal)
O rei replicou: «Então como é que eu vejo quatro a andar no fogo? E estes não estão ligados nem parecem ser atingidos pelas chamas! O quarto parece mesmo um deus!»
http://www.bible.is/PORBSP/Dan/3/25



Ps: Recentemente o site bible.is adicionou também o Novo Testamento na Nova Tradução Linguagem na Linguagem de Hoje. Abaixo vai um versículo do livro de Marcos, como exemplo do texto contido nessa versão:

Quando viu isso, Jesus não gostou e disse: — Deixem que as crianças venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino de Deus é das pessoas que são como estas crianças.
http://www.bible.is/PORNLH/Mark/10/14



Ps 2: Mais uma versão do Novo Testamento:

15 - PERJANJIAN NOVO TESTAMENTO: VERSÃO FÁCIL DE LER (VFL)
 Ao ver isto, Jesus ficou indignado e disse-lhes:
—Deixem que as crianças venham até a mim. Não as impeçam, pois o reino de Deus pertence aos que são como estas crianças.

http://bible.com/200/mrk.10.14-15.vfl *
https://www.bible.com/pt-BR/bible/200/mrk.10.14-15.vfl *
http://www.biblegateway.com/passage/?search=Marcos%2010:14-15&version=VFL *



Ps 3: Mais algumas versões católicas:

16 - BÍBLIA AVE-MARIA
92. Pois bem, replicou o rei, eu vejo quatro homens soltos, que passeiam impunemente no meio do fogo; o quarto tem a aparência de um filho dos deuses.
http://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/daniel/3/
http://www.pr.gonet.biz/biblia.php?submit=Ler&ATNT=0&Book=33&Chapter=3&versao=4&simples=1&biblia2=0&head=1

17 - BÍBLIA DA CNBB
Então ele disse: "Como é que estou vendo quatro jovens soltos e andando dentro da fornalha ardente, sem qualquer incômodo, e a aparência do quarto é de um filho de deuses?"
http://www.bibliacatolica.com.br/biblia-ave-maria/daniel/3/
http://st-takla.org/Bibles/Portuguese-Bible/bible_books.php?book=32
http://www.theos.com.br/bibliaonline/bi_livros.php?liv_id=34&capitulo=3

18 - OUTRA VERSÃO DA CNBB, MAIS ATUALIZADA
E ele lhes disse: “Como, então, estou vendo quatro homens soltos e andando dentro da fornalha acesa, sem qualquer ferimento e o quarto com a aparência de um ser divino”.
http://www.pr.gonet.biz/biblia.php?submit=Ler%20cap%EDtulo&ATNT=0&Book=33&Chapter=3&versao=1&simples=1&biblia2=0&head=1

19 - BÍBLIA SAGRADA CATÓLICA
Então ele disse: «Como é que vejo quatro jovens soltos a andar dentro da fornalha ardente, sem qualquer incómodo, e a aparência do quarto é de um filho de deuses?»
http://www.bibliacatolica.com.br/biblia-sagrada/daniel/3/



Ps 4: Mais uma:

20 - BÍBLIA ONLINE DE ESTUDO (ALMEIDA SÉCULO 21)
Disse ele: Porém, eu vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, e eles nada sofrem; e o quarto homem é parecido com um filho dos deuses.
http://www.bibliaonline.info/versiculo/daniel/3/25
http://www.vidanova.com.br/almeida_bibliaonline.asp?livro=27&capitulo=3&versiculo=25&versiculoate=26&palavra=



Ps 5: Agora uma bela iniciativa:

21 - ALMEIDA RECEBIDA*
Disse ele: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, e nenhum dano sofrem; e a aparência do quarto é semelhante ao Filho de Deus.
https://www.stepbible.org/?q=version=PorAR|reference=Daniel.3.25-26

* Leia mais sobre essa versão em:
- Justificativa do Projeto
- Projeto Atual



Ps 6: Outra iniciativa muito louvável:

22 - BÍBLIA LIVRE*
Ele disse mais: Eis que eu vejo quatro homens soltos, que se passeiam dentro do fogo; e nenhum dano há neles; e o aparência do quarto é semelhante a um filho dos deuses.
https://sites.google.com/site/biblialivre/biblia/daniel

* A Bíblia Livre é baseada na tradução de João Ferreira de Almeida que foi publicada no ano de 1819, a qual já está em domínio público, só que está sendo adaptada com a troca de alguns termos mais arcaicos por outros de uso mais moderno, alterações essa feitas com o objetivo de tornar o texto mais compreensível para a linguagem que utilizamos nos dias atuais.




Ps 7: Agora tem a nova versão da King James* em Português:

23 - KING JAMES ATUALIZADA (2012, Sociedade Bíblica Ibero-Americana)
Então o rei exclamou: “Pois então vede isto! Há quatro homens desamarrados lá dentro, e nada sofrem, estão ilesos! E o quarto homem é parecido com um filho dos deuses!”
http://bibliaportugues.com/kja/daniel/3.htm

* A Bíblia King James Atualizada é uma tradução baseada na antiga Bíblia Hebraica Stuttgartensia (BHS), datada do ano 1008 da Era Cristã (uma edição crítica do texto massorético contido no chamado "Código de Leningrado", o qual é o manuscrito mais antigo que existe contendo uma cópia completa das Escrituras). A versão King James original foi lançada em 1611, na Inglaterra, após o Rei Tiago I atender em 1607 a um pedido da Igreja e reunir cerca de 50 especialistas para realizarem a tradução da Bíblia para o inglês.




Ps 8: Mais uma tradução! Essa promete se manter fiel aos textos, porém atualizando aquelas palavras que ninguém mais usa. Parece ser muito boa e a linguagem bem atual, sem perder o sentido original dos textos!

24. NOVA VERSÃO TRANSFORMADORA (NVT)
"Olhem!", disse Nabucodonosor. "Vejo quatro homens desamarrados andando no meio do fogo sem se queimar! E o quarto homem se parece com um filho de deuses!"
http://www.mundocristao.com.br/27/Daniel-3-25

Tudo ou Nada (C. S. Lewis)

Em 1972 a revista Ultimato publicou o artigo "Tudo ou nada" de C. S. Lewis*.

Dá só uma olhada!



TUDO OU NADA

C.S. Lewis


Dizem, às vezes, as pessoas: “ A religião não me atrai”.

Certa ocasião conheci uma moça que me disse: “A religião serve, desde que não exagere”. Pessoas que falam assim pensam que a religião é algo como futebol ou música, que pode servir para alguns, mas não para outros, ou que pode interessar até certo ponto, mas não além. O primeiro passo em direção à maturidade é compreender que isto não faz sentido.

O cristianismo não é um passatempo nem um remédio que se pode vender sem receita médica. Fazem-se afirmativas:

* Deus existe.

* O homem está falido.

* Deus tornou-se Homem e pode transformar todos os outros homens.

* Nenhum outro pode fazer isto.

* Aqueles que não são transformados são “lançados fora”.

Se estas afirmativas são verdadeiras, elas atingem a todos e são de infinita importância. Se não são, não afetam ninguém e nenhuma importância têm.

Ou nada ou infinito. Ou este fio está eletrizado ou não está. Estando eletrizado, conduz uma corrente de voltagem "infinita". O cristianismo não pode ser “mais ou menos” importante.

O Deus dos cristãos não quer isto ou aquilo de você: Ele quer VOCÊ – tudo o que faz parte de você. Isto não é exorbitante. Ele FEZ você: Ele se tornou homem para recuperá-lo. (Você gostaria de tranformar-se num animal durante vários anos?) Ele o mantém vivo a cada momento. Ele lhe dá cada instante que você pensa ser seu. De fato, você é propriedade dele e Ele o quer.

Há os inimigos – dEle e seu – que também lhe querem. Se você não se entrega a Deus, então os inimigos irão tomá-lo. A guerra entre eles e Ele é intensa demais para que alguém seja neutro. Uma pessoa que procura ser neutra será fatalmente capturada pelos inimigos. É preciso escolher o seu lado.

Alguns dizem que não podem acreditar nisto, porque sendo a terra tão pequena em relação ao universo, Deus não Se importaria com o que acontece nela. Mas um pequeno lugar pode ser de muita importância numa guerra.

(Stalingrado, no mapa, parece ser um lugar muito pequeno, todavia foi o ponto estratégico na batalha de defesa da Rússia.)

É por isto que insistimos: ponha todo o seu ser (cada parte tem valor) e imediatamente (cada minuto é importante) ao lado de Deus. Apresente-se para o serviço. Faça agora sua primeira oração, em qualquer lugar que esteja. Diga-lhe que você deseja lutar. Nunca soube de alguém que se arrependesse deste passo.

Sem dúvida, há muita gente boa que não é crente, assim como há muita gente boa que toma o trem errado. Mas o que importa é onde vai terminar. O trem errado parece tão bom como o outro, antes da partida, e pode mesmo acompanhá-lo por uma considerável distância, mas no final ele falha e você fica na mão.

Fonte: Revista Ultimato (julho/1972)




C.S.Lewis se tornou mundialmente famoso com os livros (e mais recentemente, com os 3 filmes) da série "As Crônicas de Nárnia".

A Religião Verdadeiramente Perseguida no Mundo Hoje é o Cristianismo!

De Corajosos e Covardes

Os nazistas capturavam vilarejos na Segunda Guerra e transformavam os civis em reféns. A cada soldado alemão morto no conflito, podiam executar, sei lá, cem civis. Mas nem eles matavam pessoas sob o pretexto de que o Mein Kampf tinha sido vilipendiado… É claro que estou fazendo uma ironia macabra! É para ver se certos cérebros ligam nem que seja no tranco! É inacreditável— ou melhor: é acreditável, mas é espantoso! — que delinqüentes intelectuais no Ocidente responsabilizem dois pastores imbecis, que queimaram um exemplar do Corão no EUA, pelos atentados terroristas no Afeganistão!

Com raras exceções, a imprensa ocidental teve a moralidade seqüestrada pela lógica do terrorismo islâmico. É um troço escandaloso! Durante a “revolução egípcia”, a chamada “Primavera Árabe”, que leva Arnaldo Jabor ao delírio, igrejas foram queimadas, cristãos foram assassinados pelo simples fato de… serem cristãos!, casas foram invadidas. Procurem saber o que a imprensa noticiou a respeito. Quase nada!

Atenção! Há, sim, uma religião perseguida no mundo hoje. É o cristianismo! A quase totalidade de mortes em razão de perseguição religiosa se dá contra cristãos: na Nigéria, no Sudão, na Indonésia, em quase todos os países árabes, sejam eles aliados do Ocidente ou não. Há quase dois milhões de filipinos católicos trabalhando na Arábia Saudita, fazendo o serviço que os nativos se negam a fazer. Estão proibidos de cultuar sua religião. A transgressão é considerada um crime grave. Na Nigéria, no Sudão ou na Indonésia, não se queimam exemplares da Bíblia, não; queimam-se pessoas mesmo!

Ninguém dá a menor pelota porque, afinal, o cristianismo é considerado uma religião ocidental — o que, diga-se, chega a ser uma outra burrice histórica; está fora das “vítimas influentes”. Até a minoria Bahá-í, no Irã, tem mais prestígio. Quando digo “até”, não é para subestimar ninguém. A questão não é qualitativa, mas quantitativa. São milhões os cristãos submetidos ao regime de terror, sem que isso comova os “defensores da humanidade”. Parece que o cristianismo não merece nem o olhar caridoso nem o militante.

Não obstante, em nome da “tolerância” religiosa, os nossos “pensadores” eximem de seus próprios crimes os facínoras afegãos que saem degolando a primeira coisa que se mova — desde que estrangeira — para protestar contra a “violação” de seu livro sagrado.

A que se deve isso? Por incrível que pareça, a esquerda antiamericana, antiocidental, vê no islamismo uma espécie de aliado, ainda que regimes fundamentalistas, ainda que os comunas sejam os primeiros a ir para a forca quando os regimes fundamentalistas se instalam. Os esquerdistas ainda não perceberam que só a democracia ocidental, que eles adoram odiar, garante-lhes a devida segurança para que possam tentar destruir a… democracia ocidental.

De resto, detesto gente covarde! E covardes protestam contra a queima de exemplares do Corão nos Estados Unidos. Os realmente corajosos vão protestar contra a queima de Bíblias em Cabul!!!


Por Reinaldo Azevedo.

Este GPS infelizmente faz sucesso no México


“Nós matávamos muitos agentes do FBI e da DEA, mas não vale mais a pena matar agentes da DEA (a agência anti-narcotráfico dos EUA) porque eles têm chips implantados que ajudam a localizar os corpos”.

A revelação, feita com incrível naturalidade, é de um ex-Sicario (capanga de alto nível do narcotráfico do México) e mostra quão surreal é a situação daquele país. Os implantes de GPS estão na moda também entre “civis” mexicanos, que pagam US$ 4.000 para ter um localizador implantadosob a pele, especialmente na Ciudad Juárez, considerada a mais violenta do mundo.

Para se ter uma ideia, Ciudad Juárez tem uma taxa contabilizada de mais de 130 homicídios por 100.000 habitantes (o Rio de Janeiro, por exemplo, tem 38 mortes violentas por 100.000). O índice de sequestros é impossível de ser contabilizado, mas segundo o mesmo ex-sicário, menos de 10% dos sequestrados lá são devolvidos vivos às famílias, quando devolvidos. Os corpos são escondidos em “casas-cofre” junto com centenas de defuntos. Era nesses lugares que os traficantes escondiam os agentes da polícia americana assassinados, mas o medo dos localizadores fez eles mudarem de prática.

Todas essas revelações estão no filme "El Sicario, quarto 164", em cartaz no festival de documentários "É tudo Verdade", em cartaz em São Paulo e no Rio de Janeiro até dia 10. Assisti ontem o filme-entrevista com o ex-capanga (agora um fugitivo-cristão-devoto) e achei que a “ficção” de Tropa de Elite 2 é até amena em comparação com a situação de outros hermanos latinos. O interessante é notar que o fortalecimento do narcotráfico começou, lá também, com a corrupção dos policiais.

Fonte: Gizmodo.

Leia a Bíblia e Concorra a Prêmios!


Começa hoje o concurso "Vamos Ler a Bíblia" (3ª edição), e dessa vez, além dos prêmios oferecidos mensalmente, a promoção oferece uma outra grande novidade: o participante que acumular o maior número de respostas corretas ao longo do concurso ganhará uma viagem de ida e volta para conhecer Jerusalém, em Israel!

Os participantes deverão acompanhar um calendário de leitura bíblica diária, disponibilizado no próprio site do concurso. Serão realizadas 10 (dez) provas ao longo da promoção, contendo 20 (vinte) perguntas de múltipla escolha cada, referentes aos textos bíblicos lidos ao longo do ano. Em cada uma das 10 provas, os prêmios serão os seguintes:

- Para o 1º lugar: uma Máquina Fotográfica Digital

- Para o 2º lugar: um Celular Desbloqueado

- E para o 3º lugar: um MP4 Player


Observação importante: é permitida a consulta da Bíblia durante a realização das provas.

Não perca esta oportunidade de ler o livro mais conhecido de todos os tempos e, ainda por cima, concorrer a prêmios. A participação é gratuita. Basta apenas entrar no site do concurso e se inscrever:

http://www.vamoslerabiblia.com.br


Então, Boa Leitura (e boa sorte)!

Em Seis Dias - Por Que 50 Cientistas Decidiram Aceitar a Criação

Autor: John F. Ashton, Ph.D.
Páginas: 324 (coloridas)
Idioma: Português


Após vários anos de trabalho, finalmente foi lançada em Português a tradução desta importante obra sobre o criacionista bíblico: o livro "Em Seis Dias – Por que 50 cientistas decidiram aceitar a criação" ("In Six Days - Why fifty scientists choose to believe in creation").

Como o próprio nome diz, essa obra contém depoimentos de 50 influentes cientistas de todo o planeta e suas avaliações sobre os motivos que os levaram a aceitar a criação tal como descrita no livro bíblico de Gênesis.

Os ensaios apresentados nesse livro levantam questões que até hoje levantam acalorados debates entre cientistas e educadores, tais como:

- Por que alguns homens de ciência, muito bem preparados, ainda acreditam na Criação?

- Por que preferiram não acreditar na evolução darwinista ou mesmo na evolução teísta, na qual uma inteligência todo-poderosa é vista como direcionando os processos evolutivos?

- Poderiam cientistas acreditar que a vida na Terra tem provavelmente menos de 10.000 anos de idade?

- Como eles lidariam com as evidências do registro fóssil e as eras sugeridas pela datação radiométrica de rochas que contariam milhões ou bilhões de anos?


Versão original, em inglês

O interessante do livro é que são apresentados argumentos científicos em várias áreas do conhecimento humano, tais como: Biologia, Engenharia, Física, Química, Geologia e outras. Todos os autores possuem Doutorado obtido em universidades públicas de prestígio na Austrália, EUA, Reino Unido, Canadá, África do Sul ou Alemanha. São professores universitários e pesquisadores, geólogos, zoólogos, biólogos, botânicos, físicos, químicos, matemáticos, pesquisadores biomédicos e engenheiros.


Para adquir esse livro, acesse:

http://www.scb.org.br